terça-feira, 20 de abril de 2010

Mini web - Vuelve

Bom gente, me deu vontade de escrever uma web, mas como eu não tenho saco e nem tempo pra ficar postando tudo certinho, então eu faço pequena. A minha friend Bia Grimaldi deu a ideia do tema, vou fazer com Anahí e Alfonso porque não tenho inspiração para nomes e são pessoas que vocês já conhecem, então fica mais fácil de imaginar as cenas. Para ficar mais emocionante escutem a música "Vuelve - Reik" enquanto estiverem lendo (vou tentar colocar o link de um vídeo aqui no blog, mas ta difícil kk). Bom, é isso, espero que gostem :*

"Algumas pessoas dizem que tive azar em conhecer Alfonso, mas eu acredito que não. Acredito que entrei na vida dele para poder salvá-lo, ou pelo menos dar o melhor de mim para que isso acontecesse.
Tudo começou quando eu tinha dezessete anos e ele vinte. Eu estava prestes a me formar no terceiro colegial, ia prestar vestibular e tinha que arruma dinheiro para a viagem de formatura. Ele era amigo de uns amigos meus e ia em todas as festas que eu ia. Ele era lindo, simpático e dizia as coisas que eu queria ouvir. O resultado disso tudo? Eu acabei me apaixonando.
Tudo era perfeito, até que descobri que no final dessas festas ele se drogava. Se drogava a tanto tempo que dizia com o maior orgulho que já tinha experimentado todos os tipos de drogas. Quando descobri isso decidi que iria ajudá-lo. Julguei que só o meu amor seria o suficiente, mas com o tempo descobri que não era bem assim. Algumas pessoas teriam desistido a partir do momento que o outro dissesse que iria continuar com o vício, mas eu não fiz isso. Continuei com ele, a cada dia demonstrando que a vida valia mais a pena do que entregar-se a um vício, do que sustentar um bandido que não se importa se você vai morrer ou não.
Um dia, após uma crise, ele foi parar em um hospital. No hospital, chorando, ele me disse que queria parar com isso, que eu não merecia tudo o que ele já tinha feito comigo. Infelizmente era tarde demais. Por causa do cigarro ele já estava com câncer e, por não ter procurado ajuda médica antes, já estava atacando quase todos os órgãos. Nesse momento resolvi que, a partir do momento que ele partisse, eu iria viver minha vida em dobro. Iria viver por mim e por ele. Hoje, é a lembrança dele que me da forças para continuar, é saber que tudo de bom que eu fizer ele vai estar olhando por mim e sentindo-se orgulhoso."

Um comentário:

B! disse...

Você escreve bem! Deveria continuar a escrever. *-* Apenas não se preocupe em escrever tão rápido .. A história ficou bem curtinha, mas teria sido ainda melhor caso tivesse dado mais detalhes.