quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Foi no parque, naquele nosso parque, em um dos meus devaneios, que uma criança me perguntou o que era amor. Fiquei confusa, como poderia explicar isso para uma criança tão inocente, tão cheia de vida, o que eu sentia, sem deixar transparecer meus sentimentos? Disse-lhe que era um sentimento muito forte, que só quem sentiu sabe explicar. Vi preocupação em seus olhos, quando ele me perguntou se iria ficar tão amargurado quanto eu. Foi um facada tão grande, como pude deixar me abater tanto, a ponto de uma criança ver a dor em meus olhos? Tentando me explicar, disse-lhe que isso só dependeria dele mesmo, já que o amor, se é empregado às pessoas certas, é um sentimento bom. Sem me dar conta, vi ali um grande amigo, porque a criança, na sua inocencia, sempre tem esperança de que as coisas dêem certo. Quando olhei pro lado vi aquela criança como um anjo, dando me um presente, o único que poderia acalmar meu coração: um abraço.

Um comentário:

guilherme disse...

Um abraço...Acho que é o melhor apoio que alguem pode te dar quando você não está bem, muitos não conhecem o abraço verdadeiro mas quem conhece sabe o quanto ele pode acalmar seus medos e suas angustias.

mto lindo esse texto *.*